Candidatos que vestiam bermuda e camiseta regata foram impedidos de fazer concurso para promotor

Vários candidatos que iriam participar do concurso para promotor de Justiça substituto em Goiás, realizado no domingo (1º/12), em Goiânia, não puderam fazer a prova preambular (objetiva). Eles denunciam que foram retirados da sala, localizada no Campus I da Pontifícia Universidade Católica, no Setor Jardim Goiás, momentos antes da prova por estarem trajando bermudas, camisetas regatas e chinelos.

Os trajes, de acordo com o Ministério Público, foram considerados inadequados conforme comunicado publicado pela banca examinadora três dias antes da prova. Além disso, conforme o órgão ministerial, as orientações sobre vestimentas estariam previstas no edital do certame.

Segunda vez

Ontem foi a segunda vez que a prova preambular foi aplicada. Na primeira, realizada no dia 20 de outubro, teriam sido registradas ocorrências durante a aplicação dos exames na sala 414-G, da Área I, do Campus I, da PUC.

O edital do certame oferta 40 vagas imediatas para o cargo de Promotor de Justiça Substituto, classe inicial da carreira. A remuneração inicial do cargo é de R$ 28.884,20. Com tempo de serviço e metas cumpridas, o servidor pode alcançar o nível 5 da carreira, chegando ao teto salarial de R$ 35.462,22.