sábado, 18 de agosto de 2018 62 9 9904-5026
Seis anos e oito meses

Justiça do Rio de Janeiro autoriza Carlinhos Cachoeira a cumprir pena em Goiânia

O juiz da Vara de Execução Penal (VEP) do Rio de Janeiro, Rafael Estrela, autorizou nesta terça-feira (15/5) a transferência do processo de execução da pena de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, para Goiânia. O pedido foi feito pela defesa do empresário, que foi condenado pela Justiça do Rio a seis anos e oito meses de reclusão por fraudes na Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj).

A justificativa para a permanência de Cachoeira na capital é o vinculo familiar que ele possui com o Estad. “Atento aos fins da pena com o objetivo de ressocialização do penitente, sendo fator crucial neste processo o contato familiar, na forma do artigo 66, V, “g”, da Leide Execução Penal, determino a transferência da execução para a comarca de Goiânia/GO”, escreveu o juiz na decisão.

Entenda o caso
O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Nefi Cordeiro determinou no último dia 4 de maio de Carlinhos Cachoeira, para início de cumprimento de pena de oito anos, em regime fechado, a que ele foi condenado pelo crime de fraude em licitação. A decisão foi motivada pelo pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para execução imediata da condenação após o fim dos recursos na segunda instância.

A condenação está relacionada com o caso que foi investigado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, em 2004, que apurou o uso de casas de bingo para lavagem de dinheiro. Na época, o então -assessor da Casa Civil da Presidência da República Waldomiro Diniz foi exonerado do cargo após divulgação de uma fita de vídeo em que aparecia pedindo propina a Cachoeira.

Comentários



Receba nosso informativo

Cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do portal Rota Jurídica